Cordilheiras

R$42,00

200 gr. de café microlote honey. As fermentações controladas acentuam as nuances sensoriais do café, conseguindo sabores novos e exóticos.

Simulação de frete

SKU: 171 Categorias: ,
  Quantidade:
200 gramas
  Origem:
Iúna, Serra do Caparaó, ES, Brasil
  Produtor:
Sitio Cordilheiras do Caparaó, familia Miranda-Vieira
  Altitude:
1.200 m
  Variedade:
Catuai vermelho nanicão
  Processo:
Honey.
  Perfil Sensorial:
Fragrância de pessego, mel e canela, com sabores na boca que lembram a melaço, cha preto, furtas secas e baunilha. Acidez brilhante e corpo aveludado

Torra

Microlote_Reserva_Doce

Família que trabalha junto é garantia de bom café, essa é a nossa experiência. Esse micro lote vem lá do alto da montanha que compõe o Parque Nacional do Pico da Bandeira, testemunho do capricho que a família Miranda Vieira dá aos seus cafezais. Colhidos um a um, os grãos são secados bem devagar nos terreiros suspensos, seja com a casca (processo “natural”) ou sem casca mas com a polpa (processo “honey”).

O Sitio Cordilheiras do Caparaó é uma pequena fortaleza de qualidade humana e respeito à natureza, ingredientes necessários para conseguir cafés especiais. Mas não são qualquer café. Mesmo provando os cafés da região do Caparaó (e a gente já experimentou vários!), os cafés dos Miranda Viera são cafés com nuances muito parecidas aos cafés do Quênia.

A primeira vez que provei um café deles foi graças ao nosso amigo e mestre de torra Gabriel Heinerici (do Às Cafeina), que trouxe uma sacolinha torrada por ele e deixou aqui na Montañita. Depois eu perguntei: “Caramba, Gabriel, me conta dessa delicia”. Sorte a minha que ele não reservou secredos, e me contou sobre as pessoas por trás desse grão. Algum tempo depois, a Rosa, do Sitio Cordilheiras do Caparaó entrou em contato conosco pelo Instagram, falando assim: “Psiu, cê não quer comprar café da gente?” Meu sorriso abriu de orelha a orelha, e com muita rapidez falei para ela: “lóóóóógico”. E foi assim que chegou a nossa primeira saca de café deles aqui em Paraty.

Duas semanas após ter recebido essa primeira saca, eu consegui ir até o Caparaó, onde pude conhecer a terra deles e ser testemunha do trato privilegiado que eles dão a cada grão e a cada visitante que passa curioso por suas montanhas.

Café envolve pessoas, sempre! O legal desse grão, como todos os nossos grãos, é que eles contam histórias, são o reflexo do trabalho de muitas gerações, são o resultado e a herança de muitas vozes que deixam suas boas intenções nessa nossa querida bebida, com muita amizade envolvida. Ainda bem que o pior da pandemia esta passando, e conseguimos voltar a vivenciar essas coisas lindas, como visitar as fazendas e os nossos amigos e parceiros e poder trazer para vocês essas histórias, sensaciones e sabores.

Esperamos que gostem tanto deste café quanto nós: a cada gole um universo novo, uma nova esperança!